Monkeypox: saiba tudo sobre a “varíola dos macacos”

Postado em: 28/07/2022

Declarada como uma emergência de saúde global em julho de 2022 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a monkeypox, conhecida como varíola dos macacos, é uma doença zoonótica viral causada pelo vírus Monkeypox, do gênero Orthopoxvirus, da família Poxviridae. Nesse gênero é encontrado também o vírus da varíola humana, já erradicado.
Apesar do nome que relaciona a doença ao macaco, o vírus encontra-se especialmente em roedores como ratos e esquilos que transmitem a doença aos macacos e aos seres humanos. O vírus monkeypox foi descrito pela primeira vez em 1958.
 
Transmissão
Transmissão de pessoa para pessoa: 
ocorre pelo contato com fluidos corporais, lesões, cicatrizes, gotículas respiratórias, contato físico como beijos, abraços e relações sexuais;
também se dá pelo contato com materiais contaminados como roupas de cama, toalhas e tocando outros objetos;
o período de incubação do vírus usualmente é de 6 a 13 dias, podendo chegar a 21 dias.
 
Transmissão animal para pessoa: costuma ocorrer em áreas endêmicas, através de arranhões e mordidas de animais infectados e pela ingestão de carne e outros produtos de animais infectados.
 
Sintomas
Os sintomas da doença podem durar de 2 a 4 semanas.
Presença de pústulas (“bolinhas”, “espinhas”) que se formam na pele de forma aguda onde a doença não seja endêmica. Costumam aparecer depois da febre, no rosto e depois no resto do corpo
Febre acima de 38,5°
Dor de cabeça 
Dores musculares, no corpo e nas costas
Linfonodos inchados
Fraqueza profunda e fadiga
Calafrios
 
Prevenção
Ainda não existe uma vacina específica para prevenção contra a doença. Pessoas imunizadas contra a varíola humana (doença erradicada) possivelmente podem estar protegidas contra a monkeypox, mas isso não é consenso entre os cientistas. A vacina contra a varíola humana deixou de ser administrada no final da década de 1970 no Brasil.
Algumas medidas de prevenção importantes são o uso de máscaras cirúrgicas, higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, evitar aglomerações e o distanciamento social. 
 
O que fazer em caso de suspeita?
1. Estar atento aos sintomas como início súbito de erupção cutânea aguda. Se o indivíduo tem histórico de viagem a países endêmicos ou contato sexual casual 21 dias antes dos sinais também é considerado suspeito.
2. Procurar um médico. No Hospital Nipo-Brasileiro, o paciente com suspeita é isolado durante o atendimento. Será realizada uma anamnese identificando se há vinculo epidemiológico e investigação para descartar outras possíveis causas.
3. Confirmar diagnóstico: por meio da coleta de material vesicular ou crosta da lesão.
É fundamental não sair de casa, exceto em emergências ou cuidados médicos de acompanhamento. Além de evitar contato com pessoas, também evite contato próximo com animais como de estimação.
 
Tratamento
Não há tratamento específico para monkeypox. O paciente deverá ficar isolado e os sintomas desaparecem de forma espontânea com o tempo.
Cuidar das erupções, deixando-as secar, é importante. Alguns medicamentos também podem ser indicados. Em pessoas imunossuprimidas e crianças a doença pode ser mais grave.
 
Referências
https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/svs/resposta-a-emergencias/sala-de-situacao-de-saude/sala-de-situacao-de-monkeypox 
https://sp.unifesp.br/epm/noticias/variola-dos-macacos-entenda-como-acontece-a-transmissao-os-sintomas-da-doenca-como-diagnosticar-e-prevencao 
https://butantan.gov.br/noticias/variola-dos-macacos-sintomas-transmissao-origem-e-numero-de-casos-sao-atualizados-pela-oms 
https://bvsms.saude.gov.br/02-6-variola-dos-macacos/ 
https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2022/07/04/variola-dos-macacos-entenda-transmissao-sintomas-e-protocolo-de-isolamento.ghtml 
https://g1.globo.com/saude/vacina/noticia/2022/07/25/variola-dos-macacos-veja-o-que-se-sabe-sobre-a-vacinacao.ghtml
https://www.medicina.ufmg.br/monkeypox-saiba-como-se-prevenir-da-variola-dos-macacos/
https://butantan.gov.br/noticias/-quais-sao-os-sintomas-da-variola-monkeypox-como-identifica-los-e-o-que-fazer-se-houver-suspeita-
https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/monkeypox-o-que-e-e-quando-suspeitar/
https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/monkeypox-o-que-e-e-quando-suspeitar/#:~:text=N%C3%A3o%20h%C3%A1%20tratamento%20espec%C3%ADfico%20para,de%20sequelas%20a%20longo%20prazo.
https://www.gov.br/anvisa/pt-br/centraisdeconteudo/publicacoes/servicosdesaude/notas-tecnicas/nota-tecnica-gvims-ggtes-dire3-anvisa-no-03-2022-orientacoes-para-prevencao-e-controle-da-monkeypox-nos-servicos-de-saude-2013-atualizada-em-02-06-2022/view
 

Compartilhe: